sábado, 20 de novembro de 2010

Restauração e Imaginação

Em 11.11.2010

Restauração




Quando tudo parecia definido

eis que é chegada a primavera

perfumada, florida

anunciando a estação do amor



Quando pensei que a vida era feita

[de curtos verões

As flores mostram que ainda há delicadeza

Que o vermelho do meu coração ainda é forte



Quando eu pensei que não te amava mais

porque resolveste há muito não me dedicar mais teu afeto

Descobri um amor forte

Pungente e pulsante

Que em espasmos elétricos comunica de um lado ao outro

o que é a tal da felicidade.





Imagino....



Quando dormes

E descansas profundamente

Imagino por quais lugares andaste

e sinto ciúmes de um passado

Que não era meu

Quais bocas procuraste

Quando o que querias era sentir o gosto meu?

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Fome e descaso I

A humanidade geme e suporta angústias até agora
O que não nos espreme ou não bate na nossa porta
simplesmente não nos importa

A ignorância é um bálsamo para as crianças
Sorriem sem saber a miséria que as consome

Ai daqueles que tem na fome presença constante

Política é para se discutir somente nas eleições?
Alguém ainda tem coragem de defender a civilização?

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

De tão feliz

De tão feliz que eu andava
Deitava eu a poesia desleixada
Desenxabida ela por aí pairava
Desanimada a coitada

De tão feliz que eu andava
Desisti de pensar em sofrer
De expressar o querer pelas letras
Deixava os sorrisos por si falarem

De tão feliz que eu andava
Devia ter me esquecido do tempo
Dava a impressão de estava desvairada

De tão feliz que eu andava...

sábado, 30 de outubro de 2010

Margarida

Margarida
flor que brotou

Margarida
menina que desabrochou

Margarida
mulher que a todos encantou

Margarida
por onde andou só amor levou

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Para um golfinho

Eu te quero perto
Tão perto
Que em um piscar de olhos
Eu possa te tocar
Abraçar e enfim te namorar
Te encher de beijinhos
Te mimar e fazer todas as vontades
Até que você durma gostoso
Com o seu braço a agasalhar meu rosto
Com nossas cobertas e corpos enroscados
Quero ser tua na tempestade e na calmaria
E contigo ter filhos-almas para amar

Chamou minha atenção

Meu bem
Se você queria chamar minha atenção
Conseguiu.

Meu bem
Se você queria me enlouquecer
Conseguiu.

Meu bem
Se você queria me entristecer
Conseguiu.

Meu bem
Se você queria me fazer te esquecer
Desistiu?

Tempestade de amor

Parece que você só me quer pela metade
Não faz minha vontade
E eu aqui nessa tempestade

Vai chover
lágrimas de saudade
Vai trovoar
a tua maldade

E eu aqui desolada
tenho que seguir
mas não sei para onde ir

2X
Tempestade de amor
na mais alta potência
Viver de ausência
Não é para qualquer um

Vem para mim

Estou aqui tão só
Tecendo novos sonhos
E toda vez que percebo
Eu já me vejo em você

Estou aqui tentando
Ir a vida levando
Mas tá difícil sem você

Ah! meu amor
Se tu soubesses
Tudo que a ti dedico

Não me trataria assim
Não me deixaria assim
Viria para mim

Vem para mim, por favor, meu amor...

Vou definhar de amor

Vou definhar de amor
Não posso ouvir tua voz
Não sei se ainda me quer

Vou definhar de amor
Você me cativou
E agora fugiu, me magoou

Vou definhar de amor
Porque você não cresce
E logo aparece?

Vou definhar de amor
Se era isso faz um favor
...Mata logo esse pobre coração

Anti-poema

Não vou te dizer o que sinto
Não vou desafiar os heróis
Não vou te dizer coisas que não sei
Não vou te desejar ardentemente
Não vou passar os dias em contemplação
Não vou me fingir de morta quando falarem em teu nome
Não vou me esvair em divagações infinitas em um futuro ao lado [teu
Não, definitivamente não farei um poema que te fale do que todo [bom poema diz
Não vou te falar de uma palavra singela, forte, avassaladora que a [tenho na ponta da língua

Carne e Osso

Sou de carne e osso
Não sou fada
Existo, falo e penso
Primeiro falo depois penso
(É verdade)
Mas ainda assim existo
O que me leva ao começo
Sou de carne e osso
E você, seu moço?
Será que a ti resisto?

Quero te escrever o poema definitivo

Quero te escrever o poema definitivo
Sem ponto e vírgula
Sem mesóclises

Quero te escrever o poema definitivo
O mais lindo
Que veio para ficar

Quero te escrever o poema definitivo
Pleno de verbos de ligação
Enfeitado com hífens

Quero te escrever o poema definitivo
Mas que contradição
O poema definitivo para ser bom
[Deve ser infindo, não dito, sentido.

Mãos vazias

Meu coração está cheio
Minha vida está cheia
Meu amor está cheio
A piscina do condomínio está cheia
O céu de chuva está cheio
A barriga cheia
O mundo cheio...
A mão vazia reclama tua mão vazia também

Lá e aqui

A uma milha de distância
A um palmo de um sentimento
A um toque de um telefone
A uns cliques de um computador
A um instante de um pensamento
Tu estás lá e eu aqui

Dói mais que amor esgotado

Querido amado
Meu amor vai rumo ao infinito te buscar
Mas é incapaz de te fitar nos olhos
Segurar tuas mãos
E simplesmente te dizer
Que preciso de você

Preciso
Mais do que respirar
Preciso
A cada segundo que está a passar

Meu querido ser iluminado
Preciso
De sua luz para me aquecer
Do teu sorriso
Da tua fala segura
Que sei esconde também seus medos

Que farei?
Estou aqui condenada
A viver só de um deslumbre
A te ver de passagem
A esvair a seiva de um amor
Sentimento não realizado
Dói mais do que amor esgotado

sábado, 22 de maio de 2010

Como um sussurro

Como um sussurro
Eu devagarzinho me despeço
em um terno beijo de boa-noite
durma com os anjos meu terno amor
quem sabe em sonhos eu consiga te dizer
que tudo que faço para afastar você
é o meu profundo medo de ser feliz

sexta-feira, 21 de maio de 2010

Apresentando Belém:

Belém é a bela morena, faceira que deita seus cabelos anelados com cheiro de patchouli às margens da baía do guajará.
É a terra da chuva fina da tarde e das refinadas iguarias, como o dourado do tucupi e o manjar branco da fruta mais deliciosa do planeta: o bacuri.
Belém dos sorvetes e danças exóticas, do povo amável, da copa das árvores deitadas sobre as largas avenidas, do canto dos pássaros na velha samaumeira da generalíssimo.
Belém das cores e sabores, dos encantos,dos amores....
Ai, os amores....Casais enamorados na saída do cinema apressados, beijam-se pelas calçadas, como a tentar espantar o vento úmido do final da tarde, aquecem o corpo e descompassam o coração.Casais recostados nos muros dos prédios antigos, abandonados por todos e amigos dos morcegos e assombrações.
Belém da tarde quente, da sesta,das janelas escancaradas. Tempos que não voltam mais.
Belém ligeira da noite, com suas luzes e agitações. Das cadeiras nas calçadas ou dos jantares românticos,embalados por uma boa conversa.
Belém da madrugada, das ruas desertas, dos segredos e festejos de periferia, do sexo equatorial, do sono e da esperança de um novo amanhecer.

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Chuva do final da tarde

Querido ......,

Chove aqui no final da tarde. O ar entra úmido pelas frestas das janelas. Estou aqui em casa lotada de tarefas no computador. Lá embaixo as buzinas dos apressados motoristas já se fazem ouvir. Mais um dia comum, que de tão óbvio chega a ser ordinário. Exceto por uma coisa: O brilho novo que carrego no rosto. Ele chega junto com um princípio de sorriso, que sei veio para ficar.

Beijos ternos,

....

Chuva do final da tarde

Querido ......,

Chove aqui no final da tarde. O ar entra úmido pelas frestas das janelas. Estou aqui em casa lotada de tarefas no computador. Lá embaixo as buzinas dos apressados motoristas já se fazem ouvir. Mais um dia comum, que de tão óbvio chega a ser ordinário. Exceto por uma coisa: O brilho novo que carrego no rosto. Ele chega junto com um princípio de sorriso, que sei veio para ficar.

Beijos ternos,

....

Só se for amor

Só se for amor
Eu vou deixar você chegar

Só se for amor
Eu vou te desbravar

Só se for amor
Eu vou de novo sonhar

Só se for amor
Eu vou flutuar

Só se for amor
Eu vou te conjugar

terça-feira, 11 de maio de 2010

Beautiful and sparkling

If you think I gave up
You are very wrong baby
I'm just taking a break
Recovering energy
To reappear after
Beautiful and sparkling, baby
And on that day
You'll see everything that you lost
You'll be regreted
And I'll be beautiful in a summer
Waiting for a new sunshine


Linda e faiscante

Se você pensa que eu já desisti
Está muito enganado baby
Estou apenas dando um tempo
Recuperando as energias
Para depois reaparecer
Linda e faiscante, baby
E nesse dia
Você verá tudo que perdeu
Você estará arrependido
E eu linda no verão
À espera de um novo sol brilhante

sábado, 10 de abril de 2010

To bolando frases para a parede daqui de casa...





Casa combina com sonho. Calor combina com amor. Poesia combina com rima. Você combina comigo. Nós dois juntos na casa dos sonhos, calorosamente plenos de amor. Uma vida poética na qual a rima quem faz somos nós.
A poetinha

Arghhhhhhhhhhhh


Casa de sonhos. Jardim de imaginação. Amor de arrebatamento. Viver de contentamento.
Sem você sou um ao relento.
A poetinha

Arghhhhhhhhhhhhh

Casa de sonhos. Jardim de imaginação. Amor de novela. Que vida mais bela!

A poetinha

Arghhhhhhhhhhhhhhhh

Para viver na casa dos sonhos decidimos começar a sonhar. E que sonho mais lindo é esse que estamos a realizar.
A poetinha


Arghhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh

Quando penso que já vivi tudo descubro que sempre tem mais um pouco. E que louco! Ao teu lado parece que o pouco é infinito que nem o amor que por ti sinto. Amor infindo.
A poetinha

Argh

A frase perfeita é aquela que ensaia sair da boca, mas se precipita pelo coração.
A poetinha

Hmmmmmmmmmmmmm

Dança da poesia

A poesia dança na imaginação/ A fotografia na visão/ Ambas se enlaçam e dançam/ Chama que arde/ E sem alarde/ Inunda tudo de arte.
(Em 2009)

sexta-feira, 2 de abril de 2010

Água Viva

Acalma o teu coração
Deus ainda quer muito em ti realizar

Vem, segura na minha mão
Vamos seguir em comunhão
Para juntos glorificar

Vai fluir
Rio de água viva

Vai fluir
Rio de água viva

Vamos nos purificar
Vivendo para amar

Acalma o teu coração
Permanece em oração

Deus ainda quer muito em ti realizar

quarta-feira, 10 de março de 2010

Balada dos enamorados

Em fuga para a boca
O coração dispara feito louco
Em uma verborragia ensandecida
Procura-se do pouco se ouvir o rouco

Na balada dos enamorados
Todos os gestos contam
Os não gestos também

O suor frio que insiste em percorrer
[o corpo
Esse mesmo corpo que se transforma
Em uma fábrica de desejo

Esse desejo que incendeia a alma
A alma que só é plena ao lado do ser amado

Na balada dos enamorados
O tempo passa diferente
Passa no compasso
Da língua na boca
Na ânsia de trocar de espaço

Menina mimada

Para minha amiga que tem tudo, tudo mesmo.

Logo hoje cedo eu chorei
Chorei porque não posso te ter
Coisas de menina mimada
Acostumada a tudo querer

Eu queria tantas coisas

Eu queria tantas coisas
Mas o que quero mesmo de você
É que me digas que eu não vim ao mundo
...pra sofrer.......


Eu queria tantas coisas
Mas agora só quero uma
Quero estar ao lado teu
Quero ser a tua menina

Eu queria tantas coisas
Mas agora só quero uma
Quero o mais profundo amor
Dos olhos teus

Esconde-Esconde

Para Joaquim


Ah! se tu soubesses o que guardo aqui no peito
Virias logo dar um jeito
...meu amor
Ah se tu quisesses dar a mão a minha mão
Acabarias com meu sofrimento e solidão

Ah! se tu soubesses o que eu tanto te escondo
Pararias, também, de te esconder
E juntos lado a lado
Andaríamos de mãos dadas na estrada
...da vida

Ah! se tu soubesses que é amor
Virias, logo, sem demora me dizer
Que o que eu sinto por você
É o mesmo que tens pra me dizer.

Lua Rosa

Hoje fez lua rosa
Falei com o ser amado

Sua risada gostosa
De ponta a ponta do rosto
Fazia uma curva
Parecida a da irmã lua

A lua se fez rosa
Rosa de amor

Do meu amor !
...pelo ser amado

Do meu amor
Pela lua

Do meu amor
Pelo mundo

segunda-feira, 8 de março de 2010

No dia da mulher


A mulher chora, conta, canta
A mulher sangra, sua, sonha
A mulher rosa, rosna, risada
A mulher vibra, vulva, viva


A mulher sou eu, somos nós, somos todas.

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Lá no fundo da alma



(Em 04.08.08)

Lá no fundo da alma
Penso na calma
Do meu rosto no ombro teu
Sereno amor
Desejo-te
Quero enlaçar-me no corpo teu
Como o movimento do bambu ao vento
Amor, amor, amor...

Por acaso

(Em 04.10.08)

Conheci você por acaso
E tudo funcionou
Até o seu pedido de amor
Mas por alguma lógica que não sei
Meu coração já é de outro alguém

Lascívia

(Em 17.08.07)

A tua imaginação não é páreo para minha fantasia
Tuas idéias não conseguem decifrar as indecências
[Que penso em te dizer
Minha camisola preta no meu corpo sozinha
[A espera de tua língua quente e precisa

Tórrida sensação que me invade
Sentimento vil de posse e desejo
Arde o corpo
Padece a mente
Coitada da vida da gente

Fricção tão esperada
Dança rítmica e cadenciada
Te quero, te desejo, te espero.
Serei tua enfim, possuída pelo fogo
Da lascívia

É o final

(Em 18.08.07)

Palavras perdidas na estrada da vida
Sentimentos despedaçados
Para que tudo isso?
Por quê?
Por tão pouco de ti

Tua boca na minha
Mão forte no ombro
Beijos de olhinhos fechados
Um pouquinho de tempo
É o fim
De mim

Palavras
Gestos
Ações
Perdidos
Presos
Quase esquecidos
Dos bons momentos
[vividos

Teu olho
Teu riso
Nosso sentimento
Tão banalizado
Na vala da vida
Sou puta vadia
Por ti, amar

Não
Não é o final que eu quero
Não gosto do gosto do sal
Do caminho da lágrima no rosto
Da despedida.....final
É triste ....eu choro....
Dor...............animal.........
Mas não tenho direito
De pedir que fiques
Antes, vou te dizer
Vai embora
Ser feliz com outro alguém
Deixa eu aqui....quieta

Ouvindo a passagem das horas

Queria poder


Queria poder te dizer que ainda penso em ti.
Que você é o homem idealizado e acalentado
[nos sonhos meus.

Todavia, você amor faz questão de se tornar distante
Contento-me, então, com um mundo de sonhos
No qual nada nem ninguém poderão alterar

Prefiro o silêncio da lágrima fria com ainda sonhos
Do que o chorar de um tufão que a tudo derruba
[em meio a pesadelos sombrios

Queria poder te afagar e dizer que preciso de ti
Que você é o número certo para a dança da vida

Querido e acalentado serás para sempre
Até o passar dos tempos.

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Sinestesia

Olhos e boca
imagem na mente solta
cavalga a imaginação
quero entender a sensação
frasear o tátil
Divagar o sentimento
Afagar o abstrato
Perder-me em ti

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Enfim sós

Com gestos delicados trocamos olhares
Com a ansiedade a mil
Finalmente o tão esperado encontro
Na iminência de serem desnudadas
As nossas almas aguardavam
A nudez de nossos corpos
O nosso universo a minutos
De encontrar uma razão de existir
Tão intenso sentimento
Em um breve espaço de um momento
Ressoará ao eterno
Repousaste teu corpo sobre o meu.
Somos um.
Enfim sós
Enfim juntos
Felicidade te encontramos afinal.



terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Cara superlativo






O cara é o tal. Mexe com a terra. Terra com minhoca e esterco. E de vez em quando improvisa, tenta até uma conversa e tal. Telepatia pura, nesses dias vira meio vegetal.

Ele diz que é tão velho da época em que ficar era só beijar na boca e ficar de mãos dadas. Acho que ele nem é tão velho assim, porque na minha época não tinha fica era só catitar e coisa e tal.

Ele disse que adora o meu nome e olha que tenho um meio esquisito. Ele é o cara, com um bocão, manda um beijo gostosão, escreve um mailzão....Ele é...definitivamente deve ser um cara superlativo.

Ele ama tudo o que digo, se sou quase veggie ele acha normal, se não como pão branco, para ele tá tudo bem, desde que ele possa seguir a vida e nadar bem cedinho de manhã.

Ele me disse que vai até dormir mais cedo porque gostou quando expliquei que faz bem para saúde. Disse que é sincronicidade. Me diz se não é o sonho de toda moça da cidade?

Acho que ele não é tão velho assim ele usa orkut, mas diz que não olha muito email. Ele saca bem o cibernetiquês. Ele tá afastado da tecnologia, mas nossa filosofia começou num curso virtual.

Nosso amor é virtual. Nosso amor é virtual. Roubou beijo por mail, pediu em casamento pelo teclado será que ele é ...alado? Bem, vai chegar o carnaval...Vou de odalisca, vou chegar à isca para ver se ele pega. Quase um golfinho, adora água, mas isso eu já disse nadar cedo implica nisso.

E para eu não ficar repetitiva, eu quase juro que ele existe. É, ele é carioca, ele é carioca, olha o jeitinho dele passar... Curtia classicão no maraca, vendo zico e cia jogar, tomando chá mate leão e comendo cachorro quente na geral. Não bebe álcool desde os dezessete. Deve ter um vício....até gosta de vinicius, quem sabe mascar chiclete...!


(Para os incrédulos, foi ele quem me ajudou a escrever tudo isso, mesmo sem saber).

Prece silenciosa

Pai querido e amado, Tu és tão grandioso, tão maravilhoso, sobrenaturalmente inteiro amor.
E eu Papai sou pequena, mínima, tão carne, ossos e veias...pele frágil, cheia de preocupações ocas.
E Tu, Deus amado, sempre me acodes em minhas preocupações comezinhas. Sou tão indigna de estar aos Teus pés. Mal vislumbro eu a felicidade que emana de Ti. Obrigada por me permitir viver, ter saúde, proclamar Teu nome. Obrigada pelas pessoas que amo, pelos sorrisos que compartilho. Obrigada, Pai, por segurar sempre a minha mão quando eu fracamente te peço nos momentos de dor. Obrigada por abreviar sempre o tempo do sofrimento na minha vida. Obrigada, Pai amado, por me proporcionar conforto, ainda que eu não tenha suficiente compreensão para alcançar Teus desígnios. Eu sei, simplesmente sei que sou cuidada por Ti. Obrigada, finalmente, Paizinho, pela minha fé viva, que se traduz em ações e palavras do Espírito no meu dia a dia, perdoa meus pecados. Em nome de Jesus. Amém.

Aos Teus pés

O mundo tinha colapsado e eu estava lá...quieta em um canto, com meu filho pelo braço e um tanto de comida em outra mão. Pouca comida e pouca água. As pessoas vendiam o que tinham, alguns negociavam para estar naquele local, onde a pregação mais fantástica do universo estava ocorrendo. Como seria se Jesus descesse novamente à terra? As bolsas de valores quebraram, o capitalismo ruiu. Alguns estavam eufóricos, outros fingiam ser boas pessoas de última hora.
E eu ali, no canto, ouvindo palavras maravilhosas. Estava e não estava naquele mundo. Era e já não era mais parte dele. Lembrava de minha natureza divina e que tudo logo mais passaria. Jesus lá pregando e as pessoas em êxtase e eu no meu cantinho agradecendo por poder ouvir e vê-lo à distância. Tão indigna de estar aos pés do Criador! A medida que o tempo passava a multidão aumentava e aumentava. As pessoas queriam que Ele as visse, como se a devoção repentina fosse fazer toda a diferença e eu ali com meu filho no canto, em prece silenciosa, agradecia a Deus por retomar as rédeas do mundo. Eu, tão pequena, tão miserável, tão pele, osso, carne e veias... tão frágil, tão mínima, indigna de estar aos pés do Criador, mas profundamente feliz, uma felicidade sobrenatural.

Quando acordei, agradeci a Deus pela vida e por tê-lo visto de relance, no meu sonho.

(Todo o olho o verá, mas Ele não chegará a tocar à terra, para que a palavra se cumpra, faltará mais um tempo ainda, para que ele habite entre nós por um milênio, antes que tudo se cumpra).

Os meus e os teus olhos

Os meus olhos verdes procuram teus olhos castanhos bronzeados de sol e mar...

sábado, 23 de janeiro de 2010

Balada da despedida

Quando sobrevierem à mim as cãs
E o meu corpo jazer gélido e inanimado
Sobre o tabuado de madeira encerado
Quando as flores sepulcrais anunciarem
o inevitável diagnóstico da morte
Quero que lembrem
Que o meu coração um dia bateu
O mais puro amor pelo mundo e pelos homens

Minha maior declaração é para você

video

Dilatação

I

Aquece
Esfria
Aquece
Esfria
Aquece
Esfria

Aquece!!
Esfria...

Aquece!
Esfria!

Aquece!!!
Esfria!!!

Esquece!
A fria....


II

Aquece
Esfria
Aquece
Esfria
Aquece
Esfria

Trinca?



Casamento?


Encantamento
Contentamento
Casamento?

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Acalentará



Não tenho foto tua/Não tenho algo teu/Tudo o que tenho /É a lembrança de que eu sou para te amar/E isso me basta, me envolve e conforta/acalentará.
Quem dera um dia eu possa te ter em meus braços/sem medo de perder/sem medo de acordar/nesse dia eu vou nascer.
Acalentará/ a menina o sonho/de bailar ao lado do homem amado...
Acalentará/o conforto dos braços teus/o calor do corpo teu....

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Beijos ingênuos



Hoje te enviei beijos com sabor de mousse de chocolate
E você revidou com beijos de maçã da turma da Mônica
Beijos ingênuos
De irmãozinhos, disse você
Tudo que sei é que voltei a sonhar
A maçã sempre esteve presente desde Adão e Eva
Explicou você eloqüente
O que sei é o que sinto da gente
Gostinho de alegria no ar
Manhã de sol e mar
E eu aqui perdida em papéis de tanto trabalhar
Sigo a sonhar e cantar uma música só minha
Um sorriso no rosto
Um afago gostoso
Quem sabe um dia, talvez.

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

A noite estrelada de Deus




Estava eu aqui em casa aflita porque um pouco doente e frágil. Sim, porque temente a Deus, mas humana. Eu que como cristã sei que Deus está no controle de tudo, mas insisto em tentar controlar minha vida e os sintomas de que algo não está bem no corpo significa rumar ao inesperado e para pior. Assim, junto com os sintomas de uma ‘virose’ senti uma ansiedade crescente a patamares quase absurdos. Desesperei. Estava sozinha em casa com meu filho e se e se e se e se e se... fiquei com medo. Fingi uma calma aparente e convidei meu filhote para dormir na casa da vovó, no que ele alegremente concordou. Para ele tudo é uma festa e grande alegria. Cheguei na casa da mamãe e o nervoso não passava....Dormi na cama de minha irmã que me cedeu o quarto. Então, ao tentar conciliar o sono pedi para Deus segurar em minha mão e somente assim adormeci.

Eu e um anjo pairamos em um lugar muito escuro, mas não tive medo e ele me disse que iria me explicar como os que crêem em Deus são vistos. O sonho se desenrolou todo na mais completa escuridão. Eramos todos feixes de uma intensa luz branca vertical. Eu sabia que estava acima da terra, mas não divisava cidades. Apenas as luzes. As luzes são os tementes a Deus. Deus é luz. E quando nós O aceitamos ele passa a habitar em nós. Depois ele me mostrou uma pessoa fazendo uma oração. Na mesma hora que a pessoa orava a luz branca aumentava imediatamente. Ele me disse que independente do teor da prece e do que viesse a acontecer. Aquele ato aviva o espírito de Deus que passou a habitar em nós. Depois ele me levou em um lugar com muitas luzes brancas juntas. E me disse que era uma igreja. Ele esclareceu que não importava a construção ou mesmo se existisse uma. Bastava para isso que as pessoas lá estivessem reunidas com o propósito de louvar ao Senhor. Ele disse que o mistério da igreja é que lá Deus distribui a luz Dele de acordo com a Graça Dele. E então eu vi que não importava qual trabalho tivéssemos na obra do Senhor. Todas as luzes brilhavam muito e as pessoas que chegavam acendiam a sua Luz. E Ele se agradava muito disso. Para Deus, àqueles que o amam na terra são como estrelas. Acho que Deus nos enxerga como nós vemos uma noite estrelada no céu.