quarta-feira, 6 de fevereiro de 2008

Amor cálido




Para quem teve mil amores
Amores reais
Amores de faz de conta
Amores fantasiosos
Para quem já fez ou ouviu mil promessas
Viveu mil coisas intensas
Teve mil e uma surpresas
Para quem de tudo viu, ouviu e sentiu
Estar em pausa, é uma espécie de quase morte
Um estado letárgico delirante
As exigências crescem assustadoramente
Chegam a gritar ao pé do ouvido
E nada mais parece vai acontecer
Para que? Se a lua já ouviu todas as juras
Se o corpo já se deitou em outros leitos
Para que? Se promessas foram quebradas
Cicatrizes deixadas em meio a camas desarrumadas
Para quem teve mil amores
Fica difícil reconhecer um amor cálido
Este sim, o amor verdadeiro
Amor cálido. Desejo-te!